terça-feira, 28 de janeiro de 2014

INESPERADA VISITA

enquanto estou escrito
ninguém me visita
nem me visita
quando estou frio
enquanto estou caindo
ninguém me visita
nem me visita
quando estou assim
esperando uma visita
que recorte a tarde
em partes desiguais
e o sangue artificial
molhe o tempo
como se fosse possível
molhar o invisível
ninguém me visita
enquanto estou triste
isso me faz pensar
que a tristeza não existe
mas ela me sacode
contra o vidro

Nenhum comentário: