domingo, 19 de janeiro de 2014

PORCO SABOR DE CORPO OCO

esperar que a aurora me levante
é o mesmo que esperar
que a noite me deite
vai sempre dar
neste gosto porco de crepúsculo
antes de balbuciar alvorada
depois
poesia tá aqui pra isso mesmo
desabotoar os caminhos
para que a solidão não tropece
e fique amontoada num canto do peito
pesando
além do mais
solidão por solidão
basta a de não ter teu sangue
no meu coração



ESSE POEMA É DE 1983, SIMPLESMENTE LEMBREI DELE
E RESOLVI REGISTRÁ-LO AQUI.

Nenhum comentário: