terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

ESCUDO

na beira da página
na beira de tudo
um não sei o que fazer com o poema
lembro das horas
lembro de algumas pessoas e
de algo que não sei o nome
mas que me puxa
para dentro
da beira do escuro
a vida vem pontiaguda
e eu não tenho escudo

Nenhum comentário: