terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

DE BARRO

pensei que ao quebrar o coração
molharia as minhas mãos
os cacos secos cravaram segredos
entre o meu poro e a tarde

Nenhum comentário: