sexta-feira, 4 de abril de 2014

FUMANDO TINTA

fumo a caneta
enerva o meu pulmão a tinta fresca
exalo cuidados
procuro óbitos
as palavras não concluem
incompletas arremessam as gavetas
para um fundo que não consigo


Nenhum comentário: