segunda-feira, 19 de maio de 2014

OLHAR ADOTIVO

procuro não me envolver com o dia
desencarno o meu sangue
flores não revolvem o asfalto
esse perfume encontrado no estrume
é uma concessão poética
minhas perdas e os fardos não são pesados
pesado é o modo como enxergo tudo
procuro uma paisagem para doar meus olhos
e aos olhos dos outros meu tato


Nenhum comentário: