quarta-feira, 11 de junho de 2014

DESNUDO

olho a planta
olho a água
não consigo entender
poesia sem palavras
quero ser profundo
arranco a minha pele
e cubro o mundo
meus ossos tremulam
igual a uma bandeira
empalada pelo mastro


Nenhum comentário: