terça-feira, 5 de agosto de 2014

A MORTE NUNCA ACABA

a morte nunca acaba
por mais que eu desista
a vida me guarda na calça
sua virilha entupida de voragem
meus ossos sem coragem
e esse convívio de tédio e calor
dentro dessa calça sem cor
a morte nunca acaba
por mais que eu insista
a morte não me guarda
me deixa assim exposto
como se fosse um osso
o vento espalhando a dor
por onde eu nunca passo
a morte nunca acaba
é uma dor guardada
num corpo anestesiado
para sempre




Nenhum comentário: