quinta-feira, 28 de agosto de 2014

PRÓXIMO AO FIM

meu coração aos pulos
ou parado
não sei o que prefiro
temo a escuridão
claridade também
o mundo vasto
meu corpo maior que o mundo
não consigo um abraço
onde eu caiba
solto não consigo
um equilíbrio ao pensar
retiro da cabeça
recompensas
o frio sem fim




Nenhum comentário: