segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A ÁRVORE ENSANGUENTADA

a árvore ensanguentada e o seu grito
ocupam um canto da rua
do outro lado
homens e lagartos
rastejam sem pestanejar
o céu corta a tarde
com um azul inocente
repleto de nuvens maldosas
aviões carregam o silêncio para o lado perigoso
repleto de pessoas com medo e com música
formigas enfileiram passos domesticados
carregam o mundo em cada folha em cada falha
para onde vai o mundo e onde ele nos vai deixar
ninguém entende se o que a árvore grita é de verdade


Nenhum comentário: