quinta-feira, 23 de julho de 2015

PARALELO

saio de um sonho
que não quero sair
acordo para uma vida
que não quero viver
falo o que não quero falar
ouço o que não quero ouvir
faço o que não quero fazer
como o que não quero comer
bebo o que não quero beber
passo pelo dia sem que ele consiga me passar
paro antes
exatamente onde não quero parar
penso o que não quero pensar
escrevo o que não quero escrever
morro quando a morte me quiser morrer

Nenhum comentário: