segunda-feira, 27 de julho de 2015

RALO

sombra esquartejada pela soma
nesga de flor no olho da luz
nunca viver parece forte
o ralo do sonho deságua na morte


Nenhum comentário: