sexta-feira, 20 de maio de 2016

ESPERANDO A LIGAÇÃO

o telefone tremula
mais que a mão
se afoga no gesto
querer ser o autor das palavras
que o fio traz
e não o ouvido
olvido as palavras
lembrar apenas o que não se deve lembrar
a saudade de um tempo
em que não se pensava no tempo
a tarde fazia a volta num espaço repleto de futuro e plantas
agora a tarde nem aparece mais
fica escondida sob um concreto modo de esquecer
e a noite finca os pés sobre nossas cabeças esmagadas


Nenhum comentário: