quarta-feira, 31 de agosto de 2016

SOMOS TODOS CANALHAS

neste exato momento
em alguma rua da Eritreia
uma criança está sendo vendida
o dinheiro vai suprir a fome de alguém
e o seu corpo será loteado em partes desiguais
e o seu sangue correrá pelo sangueduto
até alimentar a indústria tecnológica
norteamericaneuropéia
neste exato momento
uma quase flor está sendo arrancada
antes da hora
não é mais um botão
nem ainda é uma flor
e não vai ser utilizada para enfeitar nenhuma fala
vai ser jogada em alguma vala
até quase ser esquecida

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

O MESMO POEMA DE SEMPRE

eu já li esse poema em algum lugar
ou já ouvi
ou alguém leu para mim
ou então era muito parecido
com algo que eu já tenha lido
na verdade o que existe
é uma palavra só
nós as esquartejamos na fala
para que caibam
todas na mala
permitindo assim a viagem
no abismo da mesma miragem


terça-feira, 23 de agosto de 2016

AONDE O MEU CORPO VAI SER ENTERRADO

aonde o meu corpo vai ser enterrado
não tenho a menor ideia
isso não é problema meu
não vou resolver isso
a morte vai interromper minhas posses
vai ser minha apenas a morte
e depois disso nada mais
vão dizer que estarei no meu túmulo
mas a nota fiscal não vai sair no meu nome
vão dizer que as flores são minhas
mas não foram pagas com o meu dinheiro
vão dizer que o velório é meu
que as velas são minhas
até o crucifixo
depois o espaço vai ser desocupado
para outro que vai ser enterrado
as velas vão derreter totalmente
e o coitado do crucifixo que está imóvel
porque já está morto
vai desfilar de velório em velório
e mesmo que perguntem a ele agora
ele não vai saber aonde o meu corpo vai caber
aonde vão enterrar o meu corpo
nunca vou saber de verdade
se a morte encerra as posses
nem é mais meu o meu corpo
nem as ideias que deixei pela metade


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

DA INUTILIDADE DA LEITURA

você pode abrir uma página aleatoriamente
ou seguir o roteiro normal
e ler da primeira página em diante
até onde achar que deva ser lido
ou guardar tudo isso
ou nem tocar
na verdade não vai fazer
nenhuma diferença
essa leitura ou aquela
tudo vai ficar guardado
dentro do livro ou fora dele
tudo vai estar sempre guardado
a palavra nunca vai dizer
o que realmente quer dizer




PROVISÓRIA

a vida é provisória
por isso admite espantos
a morte não é pensada
com a devida cabeça
a morte pensa essa vida que a gente vê
a gente vê o pensamento da morte e nem sabe
pensa que é a vida
quando a morte não pensa
a gente se espanta
e a vida provisória se acaba
num pensamento


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

UM SONHO PARA A MINHA CABEÇA

cuidei do sonho em cativeiro
arranquei suas asas
alimentei com espelhos
transformei em rastro sua fala
queimei seu sono pela goela
deixei que vomitasse janelas
tornei passível seu medo
bebi suas casas
mesmo assim não consegui
encontrar minha cabeça
talvez esteja procurando uma armadilha
que possa prendê-la


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

REVERSÃO


reverte o modo como os livros me separam do assombro
não pelas palavras
mais pela maneira de vê-las isoladas
como se nenhuma formasse uma frase
ou como se cada frase não necessitasse de nenhuma delas

        

A MOÇA DO TEMPO

a elegante moça do tempo
nunca erra
sempre acerta
a roupa certa
o tempo nunca erra
sempre acerta a moça
em sua boca

XÍCARAS

comecei a ouvir falar das xícaras
que se movem sem qualquer líquido
enquanto ainda estava surdo
agora que ouço tudo
escuto o silêncio das xícaras quebradas
e o líquido que as percorre
tentando remendá-las