domingo, 8 de janeiro de 2017

MORTO DESEJO

não sinto o meu vestido
sinto olhares me despindo
todo olhar remete à sede
seco a minha virilha na parede
não sei onde ancorar o meu corpo
navego em meu desejo morto


Nenhum comentário: