sexta-feira, 3 de março de 2017

PARA AS SUAS PROVIDÊNCIAS

com preguiça de fazer um ofício
escrevo um poema
falo da luz contida na sombra
a língua de fora iluminando outro silêncio
falo da mesa repleta de papéis sem poesia alguma
ou com alguma poesia escondida
entre o espaço e uma letra a ser inventada
nem toda letra precisa de outra letra
nem toda poesia precisa de outra poesia
um ofício sempre precisa de outro ofício
ou de algum despacho para providências
poesia não precisa providenciar nada
nem precisa de competências


Nenhum comentário: